terça-feira, dezembro 13, 2005

Os videojogos: potencialidades comunicativas e de desenvolvimento da consciência crítica

Trata-se de uma comunicação apresentada no 4º SOPCOM [Repensar os Media: Novos Contextos da Comunicação e da Informação], com a Prof. Ana Amélia Carvalho. Destaco as conclusões e os jogos analisados.

Conclusões
Este novo medium [os videojogos], quando bem utilizado, poderá ser bastante eficaz na comunicação de uma determinada ideia, podendo esta ser de ordem política, social ou meramente comercial. No caso político, esta nova forma de propaganda poderá comprometer o jogador, já que a mensagem do jogo acaba por tentar implicá-lo. No domínio social, através da simulação o jogador poderá verificar as consequências de uma determinada posição, levando a uma consciencialização que pode ser um despoletador de discussão e conduzir a uma mudanças de atitude. Em termos comerciais, os jogos podem desempenhar um papel relevante na estratégia da promoção de um determinado produto ou ideia. Aliás, qualquer Website que coloque à disposição do visitante um jogo levará a que pelo menos o, então, jogador passe aí muito mais tempo do que seria habitual.
O jogo Food Force é um bom exemplo da aplicação das potencialidades dos videojogos nas dimensões mencionadas, disponibilizando, ainda, orientações para professores.

Jogos analisados
(clicando sobre a imagem dá acesso ao respectivo jogo)


Wild West Bank


September 12th


The Dean for Iowa game


New York Defender


Kabul Kaboom


Cambiemos


Jogo da Memória


Jogar à corrida mais Fish


Onde está a Vale?


Food Force

Referência completa:
Pereira, Luís & Carvalho, Ana Amélia (2005). Videojogos: potencialidades comunicativas e de desenvolvimento da consciência crítica. In A. Fidalgo, F. Ramos, J. P. Oliveira & O. Mealha (orgs), Livro de Actas do 4º Congresso da Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação (SOPCOM) – Repensar os Media: Novos Contextos de Comunicação e da Informação. Aveiro: U. Aveiro, 478-487. [pdf]

Sem comentários: