quinta-feira, agosto 30, 2007

Docentes com a Net mais barata

O Governo acredita que o seu programa e-Oportunidades vai tornar Portugal num dos países do Mundo onde os professores pagarão tarifas mais baixas de acesso à Internet por banda larga. »» JN

Mas, fazendo bem as contas...

Para os professores, o preço do pc é de 150 euros. Mas com o pc vem um apêndice que, pelos vistos, é obrigatório: uma chamativa ligação à net 5 euros inferior ao preço de mercado, durante três anos (36 meses). O preço de mercado anda à volta dos 34,99 euros (...). Donde, temos 30 euros durante 36 meses (1080 euros) mais 150 de entrada. Total: 1230 euros, por um pc que, segundo os próprios fabricantes, custaria, a preços de mercado, 800 euros. »» Blogue Professores Contratados e Desempregados

Este programa pode ser positivo, mas não tem interesse para grande parte dos professores que já tem Internet em casa. Para estes, que interesse tem estar a pagar uma nova ligação, pois a que têm em casa é, porventura, mais rápida. E, na escola, espera-se que haja acesso em toda a área.
Curiosamente, quem decidiu investir na sua profissão, adquirindo um computador e pagando acesso à Internet (pessoalmento, não concebo a preparação das aulas sem estes instrumentos) não só gastou dinheiro, como agora não "consegue" beneficiar desta programa.

4 comentários:

Pedro Dias disse...

Concordo perfeitamente contigo.
Só queria acrescentar mais dois pormenores:
- Quem quiser ficar com a opção de Internet mais barata (a que vem no "pacote") fica com 300Kb/s de Download e limite de 1Gb por mês!!!
Ora, só em podcast's, skype, youtube e afins esse tráfego vais em pouco mais de uma semana!!!

- Os computadores trazerem: Windows Vista (onde o computador só com 1GB se vai arrastar) e Office 2007 (versão estudante/professor - Word, Exel e Powerpoint). Não fazia mais sentido instalar ubuntu (linux) e Open Office que são ambos gratuitos e muito fáceis de utilizar?

luis pereira disse...

Bem observado, Pedro. Mas imagina só a situação seguinte.

Uma escola com 100 professores, 50 aderem ao programa. Então, pode dar-se o caso de estarem 50 computadores na escola, cada um com a sua ligação móvel a funcionar.

Ah, fora os alunos que adiram também ao programa e-escola, que podem estar também com o seu computador e respectiva ligação individual.

Trata-se de um enorme desperdício de recursos...

Carlos Félix disse...

1. O tráfego que as operadores atribuem para download e upload também é algo muito importante a considerar. O que "oferecem" não chega para as encomendas. 2. Estar 3 anos preso a um operador e a um preço fixo quando o mercado das telecomunicações está cada vez mais competitivo a baixar os preços e a aumentar as ofertas de tráfego, caixas de correio, entre outras, também é ponto a equacionar; 3. A velocidade que as três operadores disponibilizam dentro dos 17,50€ é manifestamente insuficiente, pelo que mais vale fazer as contas pelo valor acima...; 4. Atenção, também, à rede, pois a portabilidade anunciada não é assim tão grande, pois a cobertura de rede de banda larga 3G não está em todo o lado. Afinal por que razão existem tantos hotspot? Talvez porque garantem mais qualidade, mais fiabilidade no serviço, mais velocidade; 5. O Windows Vista exige poderosos recursos dos notebook, será que estes serão suficientemente rápidos? 6. A oferta de marcas de portáteis é parca. Por que não Mac? E por que não de qualidade superior? Não querendo desanimar ninguém, não acham que as escolas é que se deveriam prover dos recursos necessários para que os seus trabalhadores exercessem as suas funções usando dinheiro do seu bolso? O Governo vai poupar umas massas valentes, hein? E ainda promove, pela TV e afins, a entrega (paga, não se esqueçam) das máquinas e ligações à net. Pois é!

luis pereira disse...

O que é certo é que pessoas da minha família me estão sempre a dizer que agora os professores têm computadores a 150 euros.

Sempre resultou a campanha...