domingo, outubro 28, 2007

Promover o fosso digital sem o saber...

Interrogo-me se a utilização das tecnologias na aprendizagem não poderá promover um fosso digital nos alunos.

Acredito que os professores, ao levarem as tecnologias para sala de aula, têm como objectivo desenvolver nos alunos competências importantes para o seu futuro, e para o seu presente, desde logo.

Da minha experiência no campo de trabalho, verifico, sem grande surpresa, que os jovens estudantes se encontram em diferentes níveis de utilização de dispositivos digitais. Mas, muitas vezes, imagina-se que os alunos sabem mais do que aquilo que realmente sabem. Se, para alguns, basta uma breve explicação, e o treino adquirido com os videojogos e a utilização de sites sociais fazem o resto; outros alunos, prejudicados pelo facto de não terem computador, consola e Internet nos seus lares, ficam uns furos abaixo.

Ora, ao sugerir-se uma actividade com recurso às TIC – fazer um blogue como porta-fólio, por exemplo – pode dar-se o caso de haver uma evolução por parte de alunos que já têm algum domínio. Ao passo que os outros terão dificuldade em os acompanhar.

Apesar da aparente distribuição ao desbarato de computadores pelos alunos, são ainda muitos (mais uma vez, são dados que se baseiam numa análise do quotidiano, sem nenhuma base científica) que não têm computador com acesso à Internet. E as escolas do EBS têm alguns computadores, mas quase sempre em salas para aulas, cujo acesso está limitado a esse fim.

Na escola onde trabalho, com cerca de 1000 alunos, há apenas 5 computadores com acesso à Net para realizar trabalhos fora das aulas. E conheço escolas cuja sala de computadores de acesso livre fecha… nos intervalos. Poderia ainda referir a dificuldade para imprimir trabalhos, entre outros.

De uma forma geral, não parece que as escolas estejam preparadas para proporcionar uma igualdade de oportunidade aos alunos mais desfavorecidos. Por isso, volto à minha auto-provocação inicial: propor actividades com as tecnologias não poderá acentuar diferenças em termos de alfabetização digital?

Sem comentários: