terça-feira, maio 20, 2008

CE atribui prémios a projectos de inclusão digital

Retirado de iGOV Central:

A Comissão Europeia (CE) vai premiar este ano pela primeira vez os melhores projectos e boas práticas de inclusão digital europeus. Segundo comunicado do organismo, o objectivo destes prémios , que surgem no âmbito da iniciativa e-Inclusion, é «celebrar os melhores e mais imaginativos meios de utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação para reduzir a exclusão digital e social».

Revelando que um em cada três cidadãos europeus não conseguem beneficiar das novas tecnologias, a CE considera que ultrapassar estas barreiras «não é só uma necessidade social», uma vez que defende que uma aposta na inclusão digital poderá «valer até 85 milhões de euros para as empresas e governos europeus nos próximos cinco anos».

Estes prémios destinam-se a organizações públicas, privadas, voluntárias ou da sociedade civil e encontram-se divididos em sete categorias: envelhecer bem, jovens marginalizados, inclusão geográfica, diversidade cultural, literacia digital, acessibilidade e serviços públicos inclusivos. As candidaturas podem ser enviadas até ao dia 12 de Setembro e os cinco finalistas de cada categoria vão ter a oportunidade de apresentar os seus projectos na Conferência Ministerial de Inclusão Digital, que terá lugar em Dezembro na cidade de Viena.

Esta conferência vai ser parte integrante da campanha «e-Inclusion:Be Part of It! » e será também o palco onde serão anunciados os vencedores dos prémios.


sexta-feira, maio 16, 2008

Uma imagem...



by Flickr

segunda-feira, maio 12, 2008

Plano Tecnológico e Cisco

Plano Tecnológico: Governo Português e Cisco estabelecem parceria estratégica

«Queremos colocar Portugal no pódio mundial da literacia e tecnologia de Internet»
Carlos Brazão
Director Geral da Cisco Portugal

sexta-feira, maio 09, 2008

Números que impressionam (assustam?)

Orçada em 9 milhões de euros, a aquisição de 5613 quadros interactivos, incluindo os videoprojectores de curta distância necessários ao seu funcionamento, reforça a dotação de equipamento tecnológico de apoio ao ensino e aprendizagem, complementando o investimento de 70 milhões de euros em novos computadores anunciado no passado dia 9 de Abril, e de 28 711 videoprojectores, cuja aquisição, também por concurso público internacional e orçada em 14 milhões e 700 mil euros, foi lançada no passado dia 22. »»Plano Tecnológico

Como forma de justificação, refere-se que "os modelos internacionais de referência do Plano Tecnológico da Educação consideram a utilização de equipamentos de apoio na sala de aula um factor crítico de sucesso para a melhoria do ensino e da aprendizagem e dos resultados escolares".

quinta-feira, maio 08, 2008

Dá sempre um bom título...

«Escolas têm de formar jovens para cidadania e sociedade do conhecimento»
Maria de Lurdes Rodrigues dixit

quarta-feira, maio 07, 2008

Fórum "Cidade Tecnológica e Inovação"



Esta sexta-feira, 9 de Maio, às 21h30min, o Fórum "Cidade Tecnológica e Inovação" junta Carlos Zorrinho (Plano Tecnológico), Carlos Bernardo (Laboratório Ibérico de Nanotecnologia) e José Dionísio (Primavera Software).
Auditório do Museu D. Diogo de Sousa.

[via Avenida Central]

terça-feira, maio 06, 2008

A Deriva Tecnológica

Joana Poças: Parece que actualmente basta uma escola ter bons computadores e acesso à Internet para se pensar que a lacuna da educação para os media ficou colmatada. O que pensa a este respeito?

Manuel Pinto: É a isso que dou o nome de «Deriva Tecnológica». Para muitos professores e para o Ministério da Educação a educação para os media ficou reduzida ao uso do computador. O que acontece actualmente é que se confunde a educação para os media com o uso das tecnologias na educação. Isto é matar a educação para os media! O uso da Internet e das novas tecnologias reduz-se a uma navegação para parte nenhuma, navegar sem rumo e sem destino. Não está certo.

Como é que eu navego na Internet? Consigo responder às perguntas às quais pretendo obter resposta? Para que serve saber utilizar a Internet? Para ir para onde? Estas são algumas das perguntas que os estudantes deveriam ver respondidas na escola quando lhes é disponibilizado um computador com acesso à Internet.

Existem 3 perguntas chave de qualquer processo educativo que são: Quem és? De onde vens? Para onde vais? E são também as respostas as estas perguntas que podem levar os estudantes a compreender melhor a Internet.

Infelizmente estas novas tecnologias são tomadas como fins, mas temos de ter consciências de que são apenas um meio, para depois, sim, podermos atingir um fim. Penso que é importante esclarecer este ponto.

Numa verdadeira educação para os media, ou numa verdadeira literacia digital, devem-se responder a perguntas como: quais são os sites válidos? Como é que avalio a informação de um site? Quais são os critérios de selecção? Qual é a informação credível? Muitos professores dizem simplesmente: - «Vão ao Google.» o que leva os alunos a pensar que tudo o que vêem no Google é credível, o que é uma mentira e uma asneira por parte do professor.

[Retirado de Notas Tecnológicas]

quinta-feira, maio 01, 2008

Brag@Brinca

A BragaHabit, empresa municipal que gere a habitação pública de Braga, foi seleccionada para o Prémio Boas Práticas no Sector Público. Segundo o seu site, "o Sistema Itinerante Brag@brinca dinamiza actividades lúdico-pedagógicas, de inclusão digital, de educação ambiental, educação para a saúde, apoio a actividades escolares, entre outras, com recurso a uma unidade móvel – o mini-autocarro “Brag@brinca” – dotada de equipamentos multimédia, livros, jogos pedagógicos e muitos outros materiais".